Asia

CLEVERSON

CLEVERSON

Africa

Soundslides

Events

Espaço Mulher

estudos bíblicos


AS PESSOAS CHAVES DE UMA CÉLULA       
DENTRO DA ESTRUTURA - de células existem algumas pessoas fundamentais. Elas desempenham funções básicas e imprescindíveis para o funcionamento da célula.
1. O líder da célula
É alguém que se converteu, Foi discipulado, batizou-se, foi ao Encontro com Deus, ao Seminário de Aliança, fez a Escola de Líderes, tornou-se um auxiliar de célula durante algum tempo, e que agora, depois da multiplicação da célula, tornou-se líder e tem a sua própria célula. Ele lidera uma célula de acordo com sua faixa etária, e na própria rua  onde mora. De preferência, o mais próximo da Igreja onde congrega.
O líder de célula é a figura chave dentro da estrutura de células. Ele não precisa ter um alto nível cultural ou intelectual, e nem tão pouco ser um grande conhecedor das Escrituras. Não precisa saber responder a todas as perguntas sobre a Bíblia, nem ter uma retórica impecável. Todavia, deve apresentar as seguintes características: ser cheio do Espírito Santo, ser submisso, ser ensinável, ser transparente e ser tratável.

A.  O líder de célula deve ser cheio do Espírito.
O que se espera de um líder, em primeiro lugar, é que ele seja cheio do Espírito Santo. Isto vai gerar vida na célula e fazer frutificar o seu trabalho. É preciso uma vida de oração íntima e diária com Deus e com a Sua Palavra. As pessoas vão ao grupo esperando receber vida de Deus, e o líder cheio do Espírito vai manifestar alegria, intensidade, profundidade e amor.
B. O líder de célula deve ser submisso.
Quem não aprendeu a se submeter, também não pode liderar. Não podemos tolerar pessoas arrogantes, soberbas, jactanciosas e divisivas na liderança. Tais pessoas acabam por esfacelar o Corpo de Cristo. Precisamos ser cuidadosos neste ponto.
C. O líder de célula deve ser ensinável.
Isso significa: disposto a aprender com qualquer um, sem se julgar doutor em coisa alguma. Líderes que se julgam conhecedores de tudo e nunca participam de reuniões de treinamento e discipulado deveriam ser afastados; eles não trazem o Espírito de Cristo.
D. O líder de célula deve ser transparente.
O líder, como homem de Deus, deve andar na luz e não ocultar coisa alguma do seu caráter. Isto é o que o torna alguém confiável. Ele não dissimula coisa alguma e os seus problemas podem ser percebidos e, conseqüentemente, corrigidos.
E. O líder de célula deve ser tratável.
Se, na sua transparência, percebemos algo errado, ele deve ser suficientemente aberto para permitir ser tratado e corrigido. Um líder não pode ser melindroso e deve estar disposto a ouvir o que precisa e não somente o que é agradável. Sem estas características básicas, uma pessoa não deve ser constituída como líder de célula
2. O Timóteo
É alguém que se converteu, Foi discipulado, batizou-se, foi ao Encontro com Deus, ao Seminário de Aliança, fez a Escola de Líderes, e que está agora sendo treinado, de forma prática, pelo líder de célula, para ser um líder, depois da multiplicação daquele grupo do qual faz parte. Ele caminha junto com o líder e é o seu virtual substituto.
O Timóteo é um líder em treinamento. Todo Timóteo deverá se tornar um líder de célula depois da multiplicação da mesma.
Todos os aspectos de caráter que se aplicam ao líder devem ser observados na vida do Timóteo, durante o tempo em que estiver auxiliando. Todo o trabalho que o líder de célula realizar, deverá ser feito junto com o seu Timóteo. Esta é uma forma prática de treiná-lo para fazer o mesmo depois, em outra célula.
Cada líder de célula deve ter um Timóteo (auxiliar). Uma célula sem um líder Timóteo (auxiliar) tem poucas chances de se multiplicar com saúde. O Timóteo (auxiliar) é aquele que carrega o DNA da visão, para que a próxima célula mantenha a visão como foi concebida.
O líder e seu Timóteo (auxiliar) são servos para a célula, e não mestres ou professores. Podemos dizer que eles são "facilitadores". O líder e seu Timóteo (auxiliar) devem ter em mente que precisam conduzir o grupo de tal forma, que cada membro possa funcionar de acordo com o seu dom.
3. O anfitrião da célula
É aquele que recebe os irmãos na sua casa com disposição e amor, para o bom funcionamento de um célula. Ele pode receber o grupo por um tempo determinado (por exemplo, por seis meses), ou pode ter a célula na sua casa por tempo indeterminado. O que se espera dele é que seja hospitaleiro e receba bem os irmãos.
Um anfitrião pode receber mais de uma célula em sua casa em dias diferentes da semana. Também é normal haver uma célula de adultos e outra de crianças se reunindo simultaneamente na mesma casa.
O ideal é termos grupos somente em casas onde os dois cônjuges são crentes. Entretanto, reconhecemos que há circunstâncias onde este padrão não pode ser seguido. Temos tido bons grupos, que funcionam em casas onde apenas um dos cônjuges é convertido. Se o não convertido não se opõe, podemos ter uma célula saudável em sua casa.
O anfitrião tem duas funções básicas: receber bem os irmãos e se envolver na vida do grupo.
O anfitrião é uma peça chave na multiplicação da célula. Se as pessoas que forem a uma célula não se sentirem à vontade, aquela célula jamais prosperará! Por isso, o anfitrião deve ser amável, hospitaleiro e receptivo, mantendo sempre um sorriso aberto para todos. É necessário também que ele evite a todo custo estar ausente de uma reunião. É desagradável ir a uma casa onde o dono não está presente.
Se o anfitrião tem qualquer reclamação quanto à conduta de algum irmão, como por exemplo, sobre sua intimidade exagerada na casa, ou danos nos móveis, o anfitrião deve falar ao líder sobre o assunto, à parte, e nunca na frente de todo o grupo. Cabe ao líder corrigir os problemas. Quando o próprio líder for o anfitrião, caberá ao auxiliar desempenhar este papel.
Durante as reuniões da célula, não deve haver televisão ligada na sala ao lado, e nem outra reunião paralela. O anfitrião deve zelar para que nada atrapalhe o bom andamento da reunião. Isto só é possível quando o anfitrião entende que está desempenhando um ministério diante de Deus, e não meramente cedendo a sua casa para uma reunião.
Há anfitriões que entregam a sua casa, mas não participam da célula. Isso é tomado pelas pessoas como indiferença e contragosto. Os donos da casa devem ser mais do que sorridentes e simpáticos; eles devem participar ativamente da célula. A questão aqui não é de formalidades, como cortesia e gentileza, mas de levar as pessoas a se sentirem parte da família. Com a nossa família não nos preocupamos com deferências. Por quê? Por que todos estão à vontade. É o suficiente. O mesmo vai acontecer na célula; quando a intimidade crescer, desaparecerão as formalidades.
4. O Supervisor
É um líder de célula que, por ter manejado bem a sua célula, a multiplicou, formando dela duas ou mais células. Ele supervisiona uma quantidade "x" de células, de acordo com a sua capacidade e disponibilidade de tempo. A princípio, ele pode supervisionar enquanto ainda lidera o seu próprio grupo. esta é a sua principal função: supervisionar as células, guardando a visão para que não se degenere.
5. O Supervisor de área
É um líder de célula bem sucedido, que se tornou um Supervisor reconhecido, porque tem sido bem sucedido em liderar e multiplicar os seus grupos. Ele apascenta as células debaixo da sua cobertura, edificando os seus membros e encorajando-os. Ele é responsável por uma quantidade de Supervisores e suas células. Ele se reúne uma vez por semana com eles, como um grupo, e individualmente, com cada líder.
A Reunião da Célula

O COMPARTILHAMENTO DA PALAVRA
O período de compartilhamento é fundamental para a edificação dos membros do grupo. Nesse momento, o líder deve pedir que cada irmão compartilhe aquilo que Deus falou com ele durante a ministração da Palavra ou algo que tem acontecido em sua vida nesses dias. O alvo é que cada um possa compartilhar o que ouviu de Deus, e se está ou não praticando o que foi ministrado. Todos devem falar, ainda que por poucos minutos.
1. Diretrizes para o compartilhamento da Palavra:
a) não pressione ninguém a orar, falar ou compartilhar. Estimule as pessoas, mas não as pressione. Isso pode afastá-las do grupo.
b) Não deixe que os irmãos aproveitem a oportunidade para falar de assuntos irrelevantes. Cada um deve compartilhar somente o que Deus falou consigo através da Palavra ministrada no dia ou sobre algo que ele está enfrentando em sua vida prática.

c) Estimule o compartilhamento de problemas e lutas pessoais com o grupo. Onde há honestidade os vínculos são firmados. Tenha o bom senso de perceber os limites de detalhes das confidências compartilhadas.
d) Todo testemunho deve ser para edificar e motivar o grupo. Desestimule toda palavra negativa e pessimista.
e) Nunca permita discussões doutrinárias. O momento não é para debater doutrina, mas para relatar vivências pessoais.
f) Não deixe que uma pessoa monopolize esse tempo falando excessivamente.
g) Não permita que um irmão exponha a falha de outro.
Cada um deve falar somente dos seus próprios pecados, suas próprias lutas e fracassos
h) Não tente ter todas as respostas.
Uma vez que alguém fala uma pergunta, não se julgue na obrigação de ter que dar uma resposta. Caso não saiba, diga que vai perguntar a um dos pastores e depois trará a resposta ao grupo.
A regra geral para o líder é: esteja sempre alegre e bem humorado nas reuniões. Isto libera a tensão, relaxa o corpo e descansa o nosso espírito. Todo o grupo se ressente de um líder constantemente melancólico.
j) Lembre-se sempre de deixar o Espírito dirigir a reunião.
Deus pode usar alguém nesse momento de compartilhamento e dar uma virada na reunião. Seja sensível a isso.
2. A melhor forma de conduzir o compartilhamento é fazendo perguntas aos membros
As pessoas estão mais interessadas no que elas têm a dizer do que no que elas têm de ouvir. Por isso, a melhor forma de estimular o compartilhamento na célula é fazendo perguntas. No final de cada Palavra, escreva algumas perguntas para facilitar o compartilhamento do grupo.
a) Perguntas envolvem o grupo
Quando não há envolvimento, não há discipulado.
Quando não há envolvimento, não há mudança.
Quando não há envolvimento, não há instrução e ensino.
É impossível envolver pessoas sem fazer-lhes perguntas!
O líder precisa trabalhar para que cada membro da célula compartilhe algo significativo com o grupo a cada semana.
b) Perguntas edificam relacionamentos
A célula possui muitos objetivos, e um deles é a edificação de relacionamentos e vínculos de amor. Boas perguntas ajudam o grupo a se conhecer e aprofundar os vínculos. Quando respondemos perguntas falamos de nós mesmos e nos damos a conhecer. Quando somos conhecidos e conhecemos os outros, os medos e constrangimentos desaparecem.
c) Perguntas nos ajudam a descobrir as necessidades da célula
Os líderes precisam conhecer o nível espiritual de cada membro e quais as suas necessidades mais urgentes. Essas informações são claramente fornecidas quando as pessoas respondem às perguntas. As perguntas revelam o grau de maturidade do grupo. Não é possível haver compartilhamento na célula sem perguntas.
3. Como elaborar boas perguntas
Todo líder de célula precisa ser um especialista na arte de formular perguntas. Não podemos deixar nenhuma pessoa excluída do compartilhamento e as perguntas são a melhor forma de envolvê-las.
a) Boas perguntas são amplas
Nunca faça uma pergunta cuja resposta seja simplesmente sim ou não. Uma boa pergunta deve estimular o compartilhamento e não bloqueá-lo.
b) Boas perguntas não inibem a resposta
Um líder resolve perguntar para alguém:
- Você crê na Bíblia, não crê? Esta é uma pergunta repressora que já traz a resposta que esperamos que a pessoa nos dê.
c) Boas perguntas estimulam a honestidade
É melhor perguntar: ?O quê?, Qual?, ou Como?, do que perguntar ? porquê?. É melhor perguntar, por exemplo, ?Como você se sentiu?, do que ?Por que você sentiu?
Respostas aos porquês são difíceis e quase sempre polêmicas. Mas, quando perguntamos: ?O quê?,  ?Qual? ou ? Como?,  a resposta é quase sempre pessoal e prática; é um estímulo à honestidade.
d) Boas perguntas produzem novas perguntas
Perguntas amplas estimulam as opiniões e as experiências, além de favorecerem o pensamento e aprendizagem. Se depois de perguntar algo a alguém o compartilhamento acaba, então a nossa pergunta não foi feliz.
4. A honestidade na célula
Um dos objetivos do compartilhamento é que as pessoas possam também abrir eventuais dificuldades pessoais e buscar ajuda no grupo. Somos perdoados quando confessamos nossos pecados a Deus; mas somos curados quando também confessamos aos nossos irmãos.
Sua tarefa como líder de célula é criar um ambiente onde as pessoas possam ser honestas e encontrar ajuda para sua dificuldade. Procure eliminar toda barreira à honestidade em sua célula. Veja como você pode estimular a honestidade na célula.
a) Estimule um ambiente adequado
Os membros da célula estão mais interessados em discutir teologia do que se envolver com vidas carentes do amor de Deus? Estão mais interessados na festividade do que nas pessoas? Crie, então, um ambiente que valorize as pessoas e suas necessidades.
b) Ensine as pessoas a serem sensíveis
Uma das maiores barreiras à honestidade surge quando pensamos que somos os únicos com problemas. Quando estamos numa batalha e ninguém se solidariza conosco, a tendência é nos sentirmos os piores e mais fracos da igreja. Sempre que alguém estiver em dificuldade, solidarize-se com ele, compartilhando algo pessoal também.
c) Não permita, na célula, a presença dos ?amigos de Jó?
Eventualmente, alguns irmãos bem intencionados, são muito rápidos em oferecer diagnósticos. E assim, ao invés de ajudar-nos, acusam-nos, dizendo: ?Você não tem orado o suficiente ?ou ?O diabo está oprimindo você?, etc. Tais comentários até podem ser verdadeiros, mas precisam ser expostos de forma a não produzir fardo e acusação.
Há pessoas que não expõem suas dificuldades financeiras, por temor de serem acusadas de infidelidade nos dízimos e nas ofertas. Outras carregam enfermidades sozinhas com receio de alguém afirmar que aquela doença é castigo de Deus, por algum pecado oculto e não-confessado. O que não falta em nosso meio são os ?amigos de Jó?. Estão sempre prontos a dizer: Se não houvesse pecado na sua vida, você não estaria assim?.
5. Não permita inconfidências
Uma das maiores barreiras à honestidade é o medo das fofocas. Se as pessoas perceberem que algum membro da célula não é confiável elas jamais se abrirão ali honestamente.
  Os momentos de uma reunião da célula
. Envolvimento ou quebra-gelo
. Louvor e adoração
. Edificação na Palavra
. Compartilhamento
. Oração pelas necessidades
. Comunhão
. Apelo evangelístico
Um formato simples de reunião
1.Coloque as cadeiras em forma de círculo;
2.Apresente os visitantes, quando houver;
3.Use uma forma de  quebra-gelo;
4.Testemunhe alguns motivos de louvor;
5.Ministre a Palavra para aquela reunião;
6.Facilite a conversa no compartilhamento;
7.Compartilhe a visão do grupo;
8.Ore pelas pessoas necessitadas;
9.Faça um apelo para salvação;
10.Termine com um lanche



Por Redação RadioJovem




 (Foto: ERI VIEIRA)
Tema: INCOMODANDO O MUNDO ...................................Atos 17:1-9

Palavra: A cidade de Tessalônica era um local estratégico para as rotas romanas, tinha um porto muito movimentado e era a capital da Macedônia. Uma cidade rica e tranquila.

Certamente já tinham ouvido falar de Paulo e os efeitos de sua pregação por onde passava, por isso o temiam tanto. Paulo já havia pregado em várias cidades importantes da redondeza e agora chegara a Tessalônica. Com apenas três semanas pregando, já havia alcançado várias pessoas e incomodado a 'estável' sociedade. Precisamos incomodar o mundo, por que se não estaremos acomodados a ele. Quando o diabo está furioso conosco significa que não estamos o agradando. Por que o evangelho incomoda?

1- Por que o evangelho transforma: O evangelho traz o remédio que a medicina não tem e o prazer que o dinheiro não dá. Pessoas que às vezes prometem largar um vício, começar uma dieta ou mudar de vida não conseguem, mas quando aceitam a Cristo são transformadas pelo poder de Deus.

2- Por que o mundo está perturbado: Aqueles que disseram que Paulo estava transtornando o mundo, fizeram coisas muito piores, que são obras da carne (Gálatas 5.19-22) como deixa claro nas palavras do texto: 'inveja', 'homens maus', 'malandragem', 'turba', 'alvoroçaram a cidade' e 'assaltando'.
Converter significa mudar de direção. O convertido vira de costas para o mundo e de frente para Deus.

3- Por que a luz incomoda as trevas: Devemos ser luz do mundo (Mateus 5.14). Quando acendemos a luz à noite, sentimos os olhos incomodarem. Assim é quem está nas trevas. A luz perturba porque revela o que está nas trevas e é mais forte que ela (João 3.19).
Não se acomode ao mundo!

CONCLUSÃO:

Deus quer uma Igreja que testemunhe para o mundo a luz da Sua palavra. Não tema em momento algum falar a verdade e incomodar aqueles que estão mortos pelo pecado.
Se sua presença cristã tem constrangido pessoas que convivem com você para não falarem coisas indecorosas e quaisquer outras atitudes desrespeitosas é porque você tem incomodado estas pessoas com sua luz. Mas se você está acomodado com tudo que o mundo faz, é hora de despertar para uma vida cheia de Luz que vencerá todas as trevas.
Peça a Deus que o ajude a melhorar seu testemunho e ande de acordo com a Palavra de Deus.



QUEBRA GELO:

Material: Uma folha em branco para cada um.

Descrição: Entregar uma folha de papel  para os participantes.

Pedir para todos ao mesmo tempo, movimentar as folhas e observar; todos unidos formarão uma sintonia alegre, onde essa sintonia significa nossa caminhada na célula, inicialmente estaremos alegres e com isso teremos coragem de enfrentar tudo.

Mas no decorrer do tempo, as dificuldades aumentaram, ficamos desmotivados por causa das fofocas, reclamações, atritos etc. Com isso surgem as dificuldades, os descontentamentos.

Juntos vamos amassar a nossa folha para que não rasque, e voltaremos a movimentar a folha movimente todos juntos, verificando que não existe a sintonia alegre, agora só resta silêncio.

Pegaremos essa folha, colocando-a no centro da mão e fechando a mão, torcendo o centro da folha, formará uma flor.

Essa flor será nossa motivação, nossa alegria daqui pra frente dentro da célula.



Para refletir: SEGURO NA ESCURIDÃO

Havia uma cela subterrâneo numa antiga prisão egípcia, muito temida pelos prisioneiros. Certa vez um homem foi sentenciado a passar vinte e quatro horas nesse lugar de horror. "A porta estava aberta. Os passos do guarda perdiam-se à distância. Então tudo era tranqüilidade. O homem sentiu-se deprimido, paralisado de medo.

Formas estranhas e horrendas saíam da obscuridade e apontavam para ele. Sentiu que daí a pouco o terror o conduziria à loucura. Então subitamente ouviu o som de passos no teto, e num tom sereno o capelão chamou-o pelo nome. Oh! jamais houve tão doce música! "Deus o abençoe", disse gaguejando o pobre homem. "Você está aí?" "Sim", respondeu o capelão. "E não sairei daqui enquanto você não for solto." O pobre homem não sabia como agradecer.

"Pois bem, não me preocuparei tanto agora, estando você aí dessa maneira." O terror se dissipou estando seu amigo tão próximo embora invisível.

Assim também ao lado de todos nós está a presença invisível contudo amorosa de nosso Amigo, e as trevas e o perigo não mais terão poder de nos amedro


Por Redação RadioJovem

Resposta: Mateus 24:36-44 declara: "Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai.... Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor... Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem." 

À primeira vista, estes versículos parecem fornecer uma resposta clara e explícita à questão. Não, ninguém pode saber quando Jesus voltará. 

No entanto, esses versículos não dizem que ninguém jamais seria capaz de saber quandoJesus voltaria. A maioria dos estudiosos da Bíblia diria que Jesus, agora glorificado no céu, sabe o momento do Seu retorno, indicando que a frase "nem o Filho" não significa que Jesus nunca saberia quando voltará. 

Da mesma forma, é possível que, embora Mateus 24:36-44 indique que ninguém naquela época sabia o tempo do retorno de Jesus Cristo, Deus poderia revelar o tempo do retorno de Jesus Cristo para alguém no futuro.

Além disso, há Atos 1:7, que afirma: "A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade." Isto foi dito por Jesus depois de os discípulos perguntarem-lhe se era naquele tempo que Ele restauraria o reino a Israel. Isto parece confirmar a mensagem de Mateus 24. Não é para sabermos o momento do retorno de Jesus. 

Entretanto, há também a questão de a qual retorno essas passagens se referem. Estão falando do Arrebatamento ou da Segunda Vinda? Qual retorno é incognoscível, o Arrebatamento a Segunda Vinda ou ambos? Embora o Arrebatamento seja apresentado como sendo iminente e misterioso, o momento da Segunda Vinda talvez possa ser conhecido com base na profecia do fim dos tempos.

Com isso dito, vamos ser bem claros: não acreditamos que Deus tenha revelado a ninguém quando Jesus voltará e não vemos nada nas Escrituras que indique que Deus de fato revelará a alguém quando Jesus está voltando. Mateus 24:36-44, embora direcionado diretamente ao povo no tempo de Jesus, também contém um princípio geral. 

O momento da volta de Jesus e o fim da era presente não são para nós sabermos. As Escrituras em nenhum lugar nos encorajam a tentar determinar a data. Pelo contrário, devemos vigiar "porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor" (v. 42). Temos que ficar "também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem" (v. 44). 

A força das palavras de Jesus diminuiria se em algum momento no futuro alguém fosse capaz de determinar quando Ele estará voltando. Se a data for descoberta, já não mais precisamos "vigiar" ou "ficar apercebidos". Assim, com o princípio de Mateus 24:36-44 em mente, não, não é possível saber a data do retorno de Jesus.

Apesar deste princípio bíblico claro, muitos ao longo da história cristã têm tentado profetizar a data em que Jesus voltaria. Muitas datas têm sido propostas e todas têm estado erradas. Houve duas datas recentes que foram popularmente propostas: 21 de maio de 2011 e 21 de dezembro de 2012. 

A data de 21 dezembro de 2012 está relacionada ao calendário maia, sem quaisquer dados bíblicos usados como prova. O “Dia de Julgamento” marcado como 21 de maio de 2011 foi proposto por Harold Camping da Family Radio. Deve-se ressaltar que Harold Camping havia previsto anteriormente que Jesus voltaria em 1994. 

Obviamente, Camping estava errado. Camping afirmou ter provas bíblicas para 21 de maio de 2011. Ao usar uma data especulativa de 4990 AC para o Dilúvio, então aplicar o "para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia" de 2 Pedro 3:8 aos sete dias de Gênesis 7:4 e, em seguida, contar os 7.000 anos de 4990, o ano de 2011 resultava. 

Então, com base em "no mês segundo, aos dezessete dias do mês" de Gênesis 7:11 e usando o calendário hebraico, a data de 21 de maio foi determinada. Então, houve qualquer validade à metodologia do Camping?

Primeiro, Camping convenientemente ignorou a segunda parte de 2 Pedro 3:8: "e mil anos como um dia". Além disso, 2 Pedro 3:8 não está fornecendo um método para datar o fim dos tempos. 

Ao contrário, 2 Pedro 3:8 está simplesmente dizendo que Deus está acima e além do tempo. Deus é eterno e infinito. Em segundo lugar, nada no contexto de Gênesis 7:4-11 indica que os "sete dias" e "dia dezessete do segundo mês" devem ser aplicados a outra coisa senão ao que Deus estava dizendo especificamente para Noé. Terceiro, o Dilúvio sendo datado a 4990 AC é especulativo na melhor das hipóteses, sem nenhuma evidência bíblica explícita. 

O cálculo de Camping de 21 de maio de 2011 se desfez mesmo sob o escrutínio bíblico mais básico. Agora, era possível que Jesus voltasse em 21 de maio de 2011? Sim, mas isso era tão possível quanto qualquer outra data. 

Será que a metodologia específica de Harold Camping teve qualquer validade bíblica? Não, não tinha. Infelizmente, Camping e outros certamente irão calcular novas datas futuras e tentarão explicar seus erros como "erros na fórmula" ou algo nesse sentido.

Os principais pontos são (1) a Bíblia nunca nos incentiva a tentar descobrir o tempo do retorno de Jesus Cristo e (2) a Bíblia não dá dados explícitos pelos quais o tempo do retorno de Jesus Cristo possa ser determinado. Ao invés de desenvolver cálculos especulativos para determinar quando Jesus voltará, a Bíblia nos incentiva a "vigiar" e "estar pronto" (Mateus 24:42-44). 

O fato de que o dia da volta de Jesus é desconhecido deve nos motivar a viver cada dia em função da iminência do Seu retorno.

Phonte: Got Questions
Por Redação RadioJovem
O nome Joel significa “Jeová é Deus”. Ele era filho de Petuel, também desconhecido fora deste livro. Quando se trata do contexto histórico de Joel, alguns sugerem uma data no século IX a.C., mas as evidências internas parecem mais favoráveis a uma data depois do cativeiro na Babilônia.

Obviamente algo havia interrompido o serviço a Deus no templo em Jerusalém: “Cortada está da Casa do SENHOR a oferta de manjares e a libação; os sacerdotes, ministros do SENHOR
, estão enlutados” (Joel 1:9).

Pode ser apenas uma referência à falta de produtos do campo para as ofertas ao Senhor, devido à praga de gafanhotos, ou pode se referir ao resultado da destruição do templo. 

Mais tarde, Deus fala sobre as nações que espalharam os israelitas “por entre os povos, repartindo a minha terra entre si” (Joel 3:2). Ele também comenta sobre as coisas preciosas que foram levadas para colocar nos templos das nações, linguagem que corresponde à pilhagem do templo em Jerusalém em 586 a.C. (Joel 3:5).

No mesmo contexto, comenta sobre os filhos de Judá que foram vendidos aos gregos, outra referência que se enquadra no período depois da queda de Jerusalém (Joel 3:6).

Na leitura de Joel, observamos que:

Os capítulos 1 e 2 falam da praga de gafanhotos como castigo divino.

Capítulo 2 frisa a misericórdia do Senhor e inclui uma profecia importante sobre a salvação que seria oferecida pelo Espírito Santo.

Capítulo 3 fala do castigo das nações que maltrataram o povo de Deus e olha para a expiação e habitação segura do povo do Senhor.

Independente da data de composição, a mensagem do livro é clara. Joel avisa sobre a vinda do Dia do Senhor, um dia de escuridão e castigo (Joel 2:1-2). Ele emprega no livro referências a uma praga devastadora de gafanhotos que é comparada à invasão de um exército forte: 

“Correm como valentes; como homens de guerra, sobem muros; e cada um vai no seu caminho e não se desvia da sua fileira.... Assaltam a cidade, correm pelos muros, sobem às casas; pelas janelas entram como ladrão.” (Joel 2:7,9). 

O castigo é tão terrível que as luminárias do céu retêm a sua luz: “Diante deles, treme a terra, e os céus se abalam; o sol e a lua se escurecem, e as estrelas retiram o seu resplendor” (Joel 2:10; veja 3:15).

Depois destas descrições do castigo, o profeta levanta uma pergunta que pede resposta: “O SENHOR levanta a voz diante do seu exército; porque muitíssimo grande é o seu arraial; porque é poderoso quem executa as suas ordens; sim, grande é o Dia do SENHOR e mui terrível! 

Quem o poderá suportar?”A resposta implícita nos versículos seguintes é uma das lições mais valiosas do livro, pois mostra que o homem que pode suportar um julgamento divino é aquele que se converte ao Senhor de fato:

 “Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus, porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2:12-13). 

Deus avisa sobre o castigo iminente e chama seu povo a se arrepender. A resposta depende de cada um!

Mas, a mensagem de Joel inclui um outro lado muito mais positivo. Joel profetiza sobre a descida do Espírito Santo e as consequentes bênçãos espirituais derramadas sobre os que invocam o nome do Senhor (compare Joel 2:28-32 com o cumprimento identificado pelo apóstolo Pedro em Atos 2:16-21). 

Depois de falar sobre o castigo do próprio povo do Senhor, ele mostrou que o povo fiel seria vindicado num grande julgamento das nações ímpias no vale da Decisão, permitindo a habitação segura dos fieis.

Quem pode suportar o juízo de Deus? Somente aquele que rasga o coração e se converte ao Senhor!

–por Dennis Allan


Por Redação RadioJovem

Resultado de imagem para 2º Timóteo 1 - A Poderosa Palavra de DEUS para iniciar sua semana!

Texto básico Leia em  I Timóteo 3: 1 Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
      Ola Povo de Deus a você que aceitou a Jesus, aqui neste estudo você vai aprender, o que é um verdadeiro obreiro de Deus, pois obreiros tem muitos, mas os Trabalhadores na obra de Deus são poucos. Veja só a ordem de JesusLucas 10:2 E dizia-lhes: Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara. Vemos aqui que nós já temos uma grande tarefa, que é de orar a Deus para que Deus tenha misericórdia e nos envie trabalhadores, homens de garra na obra de Deus para trabalhar, você pode até pensar assim  mas tem tantos pregadores nas igrejas nas praças nas ruas na rede social Televisão rádios e muito mais, são muitos , Pregadores , mas será que estes obreiros esta na vontade de Deus? Veja aqui: Jesus instruindo os discípulos, a respeito da Santa Ceia comer do corpo e beber do Sangue, os pregadores que o mestre estava ensinando foram embora e deixou Jesus falando só, que vergonha não é mesmo? João 6: 60 Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Os discípulos não gostaram da atitude de Jesus João 6: 66-67 Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?
Obreiros de Deus, não são covardes sabe amar de verdade e é, moderado II Timóteo 1:7 Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
     Você é um obreiro de Deus? esta passando por algum sofrimento ? II Timóteo 2:3 Tu, pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Sem duvida alguma que todos os obreiros de valor que este empenhado nesta Obra, sofre aflições é soldado valente. II Timóteo 2:6-7 O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos. Considera o que digo, e o Senhor te dê entendimento em tudo. Todos os obreiros do Senhor são os primeiros, a saber, que seu trabalho não é em vão, pois esta sempre vendo a resposta de seu trabalho, não é somente material e sim também espiritual, pois Deus cuida de seusSalmos 126:5-6 Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. Obreiros, verdadeiro de Deus tenha sempre coragem e saibas que suas lagrimas breve terá um fim, e vale a pena, se alegre, pois Deus esta no negocio.
     O Verdadeiro obreiro de Deus ele sabe o que esta fazendo, é experimentando em sofrimento, sabe ser caluniado, sabe passar por quaisquer provas, sabe ter fartura e também ter abundancia, Filipenses 4:12 Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. O obreiro é experiente, sabe o que esta fazendo, I Timóteo 3:6 Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. Neófito é pessoa muito recente ao seu compromisso, ou seria começar muito cedo, primeiro aprenda esteja em oração, siba o que é ser um obreiro, e estando preparado vai e nunca mais volte para trás. Lucas 9: 62 E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus. e muitos obreiros hoje estão olhando para trás, Posição, dinheiro, fama esta falando mais alto em muitos obreiros.
      O Obreiro ganancioso Seja com o titulo de Apostolo ou Pastor ou Bispo seja qual for, a ganância esta falando mais alto hoje em meio ao ambiente Evangélico, digo a cada um dos leitores que fico envergonhado ao saber de tantos Lideres de grandes igrejas, e muitas mesmo, que se seus obreiros são instruídos a levar grandes quantidades de finanças, entradas financeiras, esta tendo prioridade em quase todas as Igrejas, estes são obreiros FraudulentosII Coríntios 11: 13 Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. Diz que esta falando a verdade, mas as suas atitudes esta mostrando quem são Tito 1: 16 Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra. 
      Para ser um obreiro de Deus tem que ser provado e aprovado, não se faz obreiros de qualquer maneira não, vemos hoje tantos e tantos obreiros que não tem experiência com a obra de deus e esta somente pensando em si próprio, e não na obra de Deus, Timóteo 3: 10 E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis. Então os obreiros tem que passar por um teste, se for irrepreensível, não tendo necessidade de ser repreendido ai então este pode trabalhar que vai ser benção.

Membros do corpo de Cristo, não são membros de igrejas Obreiros do Senhor, pois os membros de igrejas só faz o trabalho dentro de uma determinada igreja, e os membros do Corpo de Cristo obedece ao seu Senhor que é Cristo, e gera Obreiros, Mateus 28:19-20 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Este ide de Jesus, é para todos os membros do seu corpo que são Obreiros que já aceitou a Jesus e esta envolvido nesta batalha, ao aceitar a Cristo já sai falando desta maravilha.
     Foi confiado aos discípulos e entregue as ferramentas Atos 1: 8 Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e serão testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Sumária, e até aos confins da terra. O verdadeiro obreiro de Deus tem estas ferramentas, testifica de Jesus em todas as partes, e tem a virtude do Espírito de Deus em sua caminhada, muito obreiro não entende nada sobre o Reino de Deus e estão ensinando errado I Timóteo 1:7  Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam. O Obreiro do Senhor aprendeu com seu mestre e não fica envergonhado, Tiago 1:5 E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. De maneira alguma Deus, vai permitir que seus obreiros passassem vergonha não sabendo nada, ao abrir a boca Deus já coloca as palavras, Efésios 6: 19 E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelhoDeus foi com Moisés, Salmo 81: 10 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito; abre bem a tua boca, e ta encherei. 
     O Momento de fazer a obra de Deus é já e agora João 9:4 Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.
     O Verdadeiro obreiro de Deus gosta mais de ouvir do que falar, pois ao ouvir a fé esta sendo alimentada e vai só aumentando. Romanos 10: 17 De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Não se envolve com riquezas deste mundo, ou seja, seu coração não esta nas coisas deste mundoMarcos 8: 36 Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Mateus 16: 26 e Lucas 9: 25.
     Nós os obreiros não somos Super-herói, que vamos conseguir fazer tudo e sozinho, Temos que nos preparar, mas como estar preparado? Ou vamos var as qualidades de Um Obreiro de Deus aqui. Efésios 6: 11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Obreiro preparado revestido, tem que ter fé e também acompanhado com as obras, Tiago 2:22 Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.  só as obras não adianta obreiro tem que acreditar em Deus crer em seu trabalho Efésios 2:9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie; O Obreiro tem que lutar para uma verdadeira perfeição em sua vida, II Timóteo 3:17 Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 
 Agradeço a cada um dos leitores que Deus abençoe.

Por Redação RadioJovem

Hebreus 9-23: "Portanto, se fez necessário que as representações das construções que estão no céu fossem purificadas mediante tais sacrifícios, mas os próprios elementos celestiais, por meio de sacrifícios muito superiores a estes." 


 10-39: "Nós, entretanto, não somos dos que regridem para a perdição; mas sim, dos que crêem e, salvos, seguem avante."

Introdução:

A. Sacerdotes oferecem sacrifícios (5:1; cf. 1 Pe 2:5)

B. A ênfase dos capítulos anteriores estava no sacerdócio de Jesus, mas já sabemos que ele
entrou no Santo dos Santos com seu sacrifício (9:12)

C. O texto desta lição frisa as características e o valor do sacrifício de Jesus

I. O Sacrifício Único e Eficaz de Jesus (9:23-28)

A. Sangue de animais servia para purificar coisas materiais – cópias simbólicas (23; cf. 8:5)
B. Mas a purificação de coisas celestiais exige um sacrifício superior (23)

1. Quais coisas celestiais são purificadas pelo sangue de Jesus? Os irmãos santificados pelo
sangue dele (cf. 2:11; 10:14)
2. Paulo os descreve como utensílios santificados na casa de Deus (2 Tm 2:20-21)

C. Cristo entrou uma vez no santuário celestial para nos representar diante de Deus (24-26)

1. Mas não para se oferecer repetidamente, como os sacrifícios dos animais da Antiga Aliança (25)
2. Ele não precisou repetir seu sacrifício – fez uma vez por todas para vencer o pecado (26)

D. Morre uma vez (27-28):

1. Os homens morrem uma vez e, depois, serão julgados (27; cf. 2 Co 5:10)
2. Jesus morreu uma vez e aparecerá outra vez aos fiéis que esperam a salvação (28)

II. A Ineficácia dos Sacrifícios da Lei Salienta a Superioridade do Sacrifício de Jesus

(10:1-18)

A. A lei era sombra imperfeita, não a coisa real (1-3)

1. Seus sacrifícios não eram capazes de aperfeiçoar os ofertantes (1)
2. Se os sacrifícios fossem eficazes, não teriam sido repetidos (2)
3. Os sacrifícios faziam recordação anual dos pecados, mas não os removiam (3-4)

B. Jesus veio para satisfazer a vontade do Pai no seu sacrifício perfeito (5-10; cf. o significado de propiciação – 1 Jo 2:2; 4:10 e palavras semelhantes em Hb 2:17; 9:5; 8:12 – misericórdia; Rm
3:25-26 – justo e justificador)

1. Deus queria obediência e não os sacrifícios de animais (5-9; cf. Sl 40:6-8; 1 Sm 15:22).
Jesus, diferente dos animais, foi um sacrifício obediente

2. Remove o primeiro para estabelecer o segundo – Jesus cumpriu a vontade do Pai e
removeu o sistema antigo (lei, sacrifícios, sacerdócio) para estabelecer o novo (sacerdócio,
sacrifício, aliança)

3. O corpo de Jesus sacrificado uma única vez é o meio da nossa santificação (10)

C. O sacrifício superior da superior aliança (11-18)

1. Nestes versículos, o autor conclui e resume os argumentos principais do livro

2. Os temas citados:

a. A superioridade do sacrifício:
i. Oferecem muitas vezes X Ofereceu um único sacrifício
ii. Não removem pecados X Sacrifício pelos pecados; aperfeiçoou para sempre
b. A superioridade do sacerdócio: Dia após dia X Entrou e assentou-se
c. A superioridade do reino: Assentou-se a destra de Deus

3. A conclusão: Onde há remissão, não há oferta pelo pecado (18)

Algumas pessoas que defendem a doutrina de pré-milenarismo acreditam que terá, aqui na terra, um novo templo no qual serão oferecidos sacrifícios de animais. Esta noção combina com o ensinamento de Hebreus sobre a ineficácia de sacrifícios de animais e a perfeição do único sacrifício de Jesus?

Jesus É Superior O Livro de Hebreus 17

III. Entremos com Confiança (10:19-25)

A. Uma vez que Jesus fez tudo isso para nosso benefício, devemos aproveitar o acesso que ele
oferece ao céu (19)
B. Acesso pelo sacrifício de Jesus: sangue e carne (19-20)
C. Ele mesmo é o sacerdote sobre a casa (21)
D. Entramos com confiança como pessoas purificadas (22; cf. Êx 29:4; Lv 16:4; At 22:16; Ef 5:26;
Tt 3:5). A certeza não vem do nosso mérito, e sim da eficácia de Jesus como sacerdote e
sacrifício
E. Guardemos firme ... sem vacilar (23; cf. 3:6,14)
F. Ajude uns aos outros (24-25)

1. Considerar
2. Estimular
3. Não deixar de congregar
4. Fazer admoestações

G. O Dia se aproxima (25):

1. Dia de adoração?
2. Dia da destruição de Jerusalém?
3. Dia da volta do Senhor? – faz mais sentido no contexto

IV. O Perigo de Abandonar (10:26-31) 4º Desvio (10:26-39)

A. Novamente, ele mostra a possibilidade da apostasia
B. Se viver deliberadamente no pecado (26)

1. Não se trata de um tropeço ou fraqueza momentânea
2. Descreve uma atitude de rebeldia contra o Senhor

C. Depois de receber o pleno conhecimento (26; cf. 6:4-5); foi santificado (29)
D. Já não resta sacrifício (26) – o único e perfeito sacrifício já foi feito; não há outro!
E. Resta somente o juízo e o castigo (27-31)

1. Horrível, juízo, fogo (27)
2. Uma aliança superior significa castigo mais severo (28-29; cf. 2:1-4; Rm 11:22) – o Deus
do NT é severo
3. A gravidade do pecado (29)

a. Calcou aos pés o Filho de Deus
b. Profanou o sangue da aliança
c. Ultrajou o Espírito

4. Deus julgará (30)
5. “Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (31)

V. Tenham Perseverança (10:32-39)

A. Lembrem da sua fé inicial (32). Quantas vezes erramos por não lembrar da fé que tivemos no começo da nossa caminhada com Jesus?

B. Mesmo sofrendo, foram fiéis (32-34)

1. O sofrimento de discípulos, “depois de
iluminados”
2. A chave à perseverança: “tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio
superior e durável” (34; cf. Mt 6:19-21). A perspectiva eterna

C. Perseverem, porque haverá recompensa (35-39)

1. A confiança tem galardão (35)
2. Precisam de perseverança para alcançar a promessa (36)

Muitos hoje pregam doutrinas de prosperidade, dizendo que o sofrimento pára quando chegamos
a servir a Cristo. Textos como Hebreus 10:32-34, além dos exemplos de pessoas fiéis como Estêvão, Tiago, Paulo e o próprio Jesus, mostram o erro dessas doutrinas.

Jesus É Superior O Livro de Hebreus 18

3. Ele vem logo (37). Independente da data da volta de Cristo, ele vem logo para cada um de
nós. Devemos perseverar e estar preparados para sua vinda
4. O justo viverá pela fé (38; cf. Hc 2:3-4). A frase usada 3 vezes no NT:

a. Aqui, a ênfase está na perseverança até alcançar o livramento que Deus dará
b. Em Rm 1:17, a ênfase está na fé – a mensagem pregada aos judeus e gentios
c. Em Gl 3:11, Paulo destaca a fé em contraste com a lei, mostrando a justificação por
fé conforme o evangelho

5. Deus não aceita aqueles que desistem. Nós não desistiremos! (39)

Perguntas

1) O texto fala sobre o tabernáculo feito por Moisés e o tabernáculo no céu.
Qual dos dois é (ou era) real, e qual é (ou era) simbólico? Pense em como
a sua resposta deve influenciar sua perspectiva sobre outras coisas na terra.

2) O sangue de Jesus foi derramado para purificar “coisas celestiais” (9:23).
Quais coisas são estas?

3) Por que Jesus não precisa repetir o seu sacrifício, como os sacerdotes no AT repetiam seus?

4) O que Jesus fez para ser qualificado como sacrifício eficaz pelo pecado?

5) A Antiga Aliança resolveu o problema do pecado? A Nova Aliança resolve o problema? Explique.

6)  Cite alguns motivos, de Hebreus 10, para os discípulos se reunirem.

7) É possível para um cristão, já purificado dos pecados, voltar ao pecado e ser condenado
eternamente? Justifique sua resposta.

8) Alguns ensinam que o Deus do AT foi vingativo, mas o Deus do NT é misericordioso. O caráter de Deus mudou? O Deus do NT é severo?

9) Os fiéis sempre serão abençoados materialmente?

10) Qual profeta disse: “o justo viverá pela sua fé”? Dê os versículos no NT onde esta citação é
usada.

Há várias doutrinas que sugerem uma segunda chance após a morte. A doutrina da reencarnação oferece múltiplas oportunidades para se aperfeiçoar em outras vidas. A doutrina do purgatório oferece a possibilidade de pagar por alguns pecados depois da morte, mas antes do julgamento final. Como podemos refutar essas doutrinas?

Phonte: Estudos da Bíblia

Por Redação RadioJovem


Devocional os quatro maiores poderes do universo meu amigo meu irmão gostaria de convidar você nesse instante para meditar comigo no texto da palavra de Deus o qual se encontra no evangelho de Mateus capítulo 28 e Versículo de número 18, texto da palavra de Deus disse Jesus todo poder me foi dado no céu e na terra, esses poderes não estão nas mãos de ser humano algum não pode ser manipulado por homem, nenhum inclusive ele é responsável pela maior transformação da raça humana, estamos falando do Poder da Cruz, do Poder da Ressurreição, do Poder do evangelho e do Poder da Fé.
1.    poder é o poder da Cruz, nada mais podem me libertar da condenação do pecado a não ser o poder da Cruz, conforme Romanos 6:06 diz o texto da palavra de Deus, sabendo que o nosso velho homem foi com ele crucificado para que o corpo do pecado seja desfeito todos nós éramos culpados até que alguém pagou o preço esse preço foi muito alto esse preço foi preço de sangue, do sangue de Jesus Cristo, derramado na cruz do Calvário, é por isso que o poder da cruz é um dos maiores poderes do universo a cruz é uma das maiores demonstrações do Poder de Deus, para a redenção do homem o maior de todos os milagres aconteceu sem dúvida na substituição, quando Jesus tomou o meu lugar tomou o seu lugar morrendo na cruz do Calvário,
 é por isso que Sem dúvida nenhuma a cruz é um dos maiores poderes do universo.
2.    o segundo maior poder do universo é o poder da Ressurreição, nada mais pode me dar esperança da vida eterna se não o poder da Ressurreição, a ressurreição de Jesus Cristo anulou o poder da Morte e diante dessa verdade existem três razões pelas quais Deus, ressuscitou seu filho a primeira razão foi para vencer a morte se a morte respeitou Jesus e Jesus venceu, a segunda razão foi para nos dar uma chance de sermos filhos conforme João 3:16
 a terceira razão era para nos dar o direito de morarmos o céu por que isso foi a prova essa dele, ele vê se não se turbe vosso coração crede em Deus crede também em mim na casa de meu pai há muitas moradas, se não fosse assim eu vo-lo teria dito Vou preparar lugar e voltarei para que onde eu estiver estejais vós também comigo, então o poder da Ressurreição também é um dos maiores poderes do universo.
3.    o terceiro maior poder do universo é o poder do evangelho nada mais me assegura que eu persevere até o fim, a não ser o poder do Evangelho, conforme está escrito em romanos 1 e 16 porque o Evangelho é o poder de Deus, para transformar são de todo aquele que nele crer, então quando Nós cremos no evangelho quando Nós aceitamos o evangelho Quando o evangelho entra dentro do nosso coração há uma transformação extraordinária é o poder do evangelho que nos transforma,

4.     e o quarto é o poder da fé nada mais pode vencer o mundo do que nossa fé, está escrito em primeira João Capítulo 5 Versículo 4 e 5 todo o que é nascido de Deus, vence o mundo a vitória que vence o mundo a nossa fé, fé ela não pode ser comprada ela não pode ser negociada vendida ou emprestada a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se , conforme Hebreus 11 :1 e o autor de Hebreus Capítulo 11 Versículo 6 vai dizer que sem fé é impossível agradar a Deus, portanto meu amado amigo está aqui os quatro maiores poderes do universo  A Cruz a ressurreição o evangelho e a fé que, Deus te abençoe, Abençoe você e toda sua família é o desejo mais profundo do meu coração dos Ferros em 5 de agosto de 2017 igreja avivamento bíblico - Pastor Jandilson de Melo
Por Redação RadioJovem

galery